Fundador de jornal afirma: "Se a Globo tivesse repercutido, Guardiola poderia ter sido o treinador da seleção"


A revelação de Daniel Alves no programa 'Bola da Vez', da ESPN Brasil e que foi ao ar na noite dessa terça-feira, deu continuidade às informações publicadas pelo diário "Lance!" há cerca de dois anos. Naquele momento, Walter Mattos Jr., fundador do jornal de esportes, publicou diversos detalhes da vontade de Josep Guardiola em treinar a seleção brasileira. A fonte, mais tarde revelada pelo próprio autor das notícias, quando autorizado, era nada menos do que o irmão do treinador.

"A única equipe que eu começaria a treinar amanhã é a seleção brasileira", disse Pep a Pere Guardiola, seu familiar, quando ainda estava em Nova York, em período sabático, segundo foi publicado na matéria. A declaração foi dada assim que veio a notícia da saída de Mano Menezes do comando do time nacional.

Em contato com o ESPN.com.br, Walter contou todos os detalhes daquele momento que poderia ter um final diferente, com a contratação do primeiro técnico estrangeiro à frente da equipe canarinho.

Foi o hoje editor e colunista do jornal, sem intermédio de ninguém, quem contatou diretamente José Maria Marin, na época presidente da CBF, para contar da abertura e da vontade de Pep.

"Eu liguei para o Marin. Era uma causa da qual eu era o entusiasta. Quem me atendeu foi o Alexandre, um rapaz que trabalhava com ele na época, e deixei um recado. Dois dias depois, acho que em um domingo, o Marin me ligou. Eu não tinha contato direto com ele, mas achava que poderia acessá-lo. Eu disse, então, sobre o Guardiola, contei tudo, do irmão e da declaração que eu tinha. Marin apenas me disse que era uma ideia interessante, mas que era difícil por ser estrangeiro. Falou que iria avaliar", afirmou Walter.

"Depois disso, nunca mais falei com ele. E veio, então, dias depois, a notícia do acerto com Felipão. Foi o conservadorismo que impediu que isso acontecesse", completou.

Quase dois anos depois, o autor da notícia sobre Guardiola tem uma certeza: se a TV Globo tivesse repercutido o assunto, Pep Guardiola poderia ter sido o treinador da seleção.

"Eu poderia apostar que se a Globo tivesse repercutido a notícia, levado uma matéria ao 'Jornal Nacional', o Marin tomaria outra decisão, ao ver que os torcedores queriam essa mudança, queriam Guardiola. Apenas alguns veículos da emissora falaram sobre, acho que o Sportv e a Rádio Globo tocaram nisso. A TV aberta e o site ignoraram completamente. Isso era um sinal de que não entrariam nessa discussão. Todos os outros veículos deram isso e era um sucesso absoluto", finalizou.

A reportagem é de Camila Mattoso, do ESPN.com.br.


Baixe o aplicativo para Smartphones e Tablets.
Curta nossa página no Facebook
Siga nosso perfil no Twitter.
Compartilhe no Google Plus

Por Vevé Prado

Para entrar em contato com o editor - Email: midiaesportiva@hotmail.com / Celular e WhatsApp: (81)996331508.