Jornalista importante da Globo afirma que não é papel da TV aberta passar outros esportes além do futebol


Responsável da Globo pelo planejamento da cobertura das olimpíadas da Rio 16, Renato Ribeiro foi um dos palestrantes do congresso promovido pela Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji). Segundo o UOL Esporte, o jornalista defendeu a política de priorizar o futebol na grade de programação e transmitir poucos eventos de outras modalidades, apesar da proximidade dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro-2016.

“Não é papel da TV aberta passar outros esportes. É um naufrágio na audiência'', disse Ribeiro, que ressaltou que, ainda assim, a emissora transmitirá ao vivo 15 partidas de vôlei em 2015. Já o futebol terá aproximadamente 80 partidas.

Ribeiro contou que está afastado das reportagens desde a Copa do Mundo. O jornalista revelou que a programação dos Jogos está voltada para conquistar o público feminino.

“A gente olha as Olimpíadas pensando nas mulheres. Elas são protagonistas e são elas que mandam na audiência da TV aberta'', opinou.

Ribeiro ainda rebateu as críticas de que teria uma cobertura pouco crítica em relação às Olimpíadas e outros grandes eventos por ter os direitos de transmissão e, em boa parte dos casos, ser parceira de comunicação.

“Jornalisticamente a gente cobre [desapropriações e obras atrasadas]. O Rio cobre mais, jornais locais”, afirmou o jornalista, que se diz otimista sobre as obras para os Jogos.

“O atraso preocupa. Acho que as arenas vão ficar prontas a tempo. Não vai assustar. Acho que Deodoro vai ficar pronto com emoção. Engenhão é o que me preocupa mais. A prefeitura fala que está mexendo no teto, mas parece que não está acontecendo nada”, disse. “O golfe é complicado. Vai sair, mas é complicado. Metrô eu não sei se fica pronto. As obras de infraestrutura estão muito atrasadas. É que são obras feitas pela Odebrecht e Andrade Gutierrez''.

Sobre a cobertura dos Jogos, Ribeiro contou que a Globo estreará no dia 5 de agosto o programa ‘Balada Olímpica’, que será apresentado por Carol Barcellos após o Jornal da Globo. As transmissões dos esportes olímpicos passarão a contar com ‘mesas táticas’ similares às do futebol (os jogos de vôlei já têm utilizado este artifício).

“O maior desafio é fazer os atletas [comentaristas da Globo] mexerem nisso”, afirmou Ribeiro, que revelou que até mesmo a natação ganhará sua ‘piscina tática’.

Informações de Guilherme Ceciliano, repórter do UOL Esporte.


Baixe o aplicativo para Smartphones e Tablets.
Curta nossa página no Facebook
Siga nosso perfil no Twitter.
Compartilhe no Google Plus

Por Vevé Prado

Para entrar em contato com o editor - Email: midiaesportiva@hotmail.com / Celular e WhatsApp: (81)996331508.