Clubes levarão para CBF proposta da Copa Sul-Minas, mas Globo está preocupada com contrato dos estaduais


Clubes levarão a proposta da criação da Liga Sul-Minas para a CBF na quarta-feira, em reunião da comissão formada pelos times. A arma dos clubes é tentar convencer a confederação de que os Estaduais não serão afetados. Só que federações do Paraná, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e do Rio de Janeiro já se movimentaram em sentido contrário à competição.

Entre os clubes envolvidos, estão Inter, Grêmio, Coritiba, Atlético-PR, Atlético-MG, Coritiba, Flamengo e Fluminense, além de times de Santa Catarina. A promessa é de conseguir contratos que gerem uma renda de R$ 80 milhões.

A estratégia da Liga Sul-Minas para convencer a confederação e a Globo é estudar todos os cenários para tentar prejudicar o menos possível os Estaduais. Para isso, a competição teria um formato bem enxuto, com poucos clubes, e usaria datas juntamente com os regionais, mas também utilizaria outros espaços no calendário, extremamente apertado. A ideia é fechar o formato da competição no dia 21 de agosto em encontro marcado para Belo Horizonte, na sede do Atlético-MG.

A CBF já se mostrou cética em relação a realizar a Sul-Minas pela falta de tempo. No primeiro contato sobre o assunto, há vários meses, a confederação disse que atenderia o interesse dos clubes. A Globo, quando procurada pela Liga, ressaltou que tem contratos em vigor para os Estaduais e se mostrou preocupada com o efeito sobre eles.

A questão é que os clubes estão cada vez mais irritados com o mau rendimento gerado pelos campeonatos nos Estados. No Sul, Inter e Grêmio leam R$ 7,5 milhões. No Rio de Janeiro, a cota dos grandes é R$ 7 milhões. No Paraná, fica em apenas R$ 1 milhão para Atlético-PR e Coritiba. Com uma competição na mão, e jogos melhores, eles avaliam que podem faturar muito mais.

As federações de Minas, Rio e Paraná, cujos clubes podem participar, estiveram na CBF nesta segunda-feira. “Nenhum clube me procurou então não tenho opinião. Para mim: estaca zero'', disse Hélio Cury, do Paraná. “Falamos (da Liga) porque o assunto está na mídia. Mas não teve uma discussão específica.'' Rubens Lopes, do Rio, havia dito que não interferiria contra a dupla Fla-Flu, esteve na confederação juntamente com os outros que fazem oposição ao torneio.

Os dirigentes das federações têm lembrado suspostas cláusulas de contrato que obrigariam os times a usar titulares nos jogos. Só que os clubes entendem que não há essa exigência além dela ser subjetiva já que é o técnico quem determina o time principal.

A confederação tem dito que a comissão de clubes, que reúne oito deles, é uma demonstração de como está aberta a ouvir suas sugestões e atender os seus interesses. Nesta quarta-feira, será um teste para esse discurso da diretoria da CBF.

Com informações Rodrigo Mattos, do UOL Esporte.


Baixe o aplicativo para Smartphones e Tablets.
Curta nossa página no Facebook
Siga nosso perfil no Twitter.
Compartilhe no Google Plus

Por Vevé Prado

Para entrar em contato com o editor - Email: midiaesportiva@hotmail.com / Celular e WhatsApp: (81)996331508.