Globo quer manter direitos de transmissão da Série B, mas clubes querem mais dinheiro em cotas de TV


Na última segunda-feira, representantes dos clubes da Série B estiveram reunidos no Rio de Janeiro com executivos da Rede Globo para apresentar a proposta para a revisão das cotas de TV e escutaram que a emissora tem interesse em seguir com o campeonato e prorrogar o acordo vigente. Mesmo com o sinal positivo, eles não descartam analisar outras ofertas.

O atual contrato da competição se encerra ao fim de 2017.

A comissão é formada por membros de América-MG, Náutico, Paysandu e Atlético-GO. Marcus Salum, do Coelho, foi o responsável por construir o estudo que pede a mudança em todo cenário.

Os times recebem hoje R$ 3 milhões - com os impostos, ele fica em R$ 2,7 milhões - e reclamam ser impossível montarem seus elencos com esse valor e que a cifra estaria 'defasada'. Segundo eles, a Globo não discordou num primeiro momento dessa visão.

"Houve uma reunião na segunda-feira, no Rio, onde foram mostradas as teses que levantamos, os estudos e aí ficamos de marcar uma nova para a semana que vem. Ainda nesta mesmo seria impossível porque a maioria viajou. Sei apenas que com R$ 3 milhões é insustentável, não tem a menor condição", afirma o presidente do Náutico, Glauber Vasconcelos, em contato com a reportagem.

"Ninguém está em rota de colisão. Existe o interesse de outras emissoras, mas só vamos ouvir depois de esgotarmos (com a Globo). Até o ano que vem, temos que definir nosso futuro", completa.

O ESPN.com.br teve acesso e mostrou anteriormente estudo apresentado na CBF que destacava o abismo que existe entre a primeira e a segunda divisão e sugere alterações, além de pedir uma redistribuição para a Série B, a proposta atinge também a Série A.

Uma nova rodada de discussões com a Globo deve acontecer na próxima semana.

"O contrato existe até 2017, é lógico que, quando você está negociando, vai envolver prazos, se a emissora tem interesse em mexer com valores. É lógico que vamos atrás, mas temos processos e estamos no meio dele. Se não quiser comprar, tenho que ir atrás de quem quer", diz Marcus Salum, do América-MG.

"Se eu não tivesse tido nenhuma receptividade da outra, disposta a mexer, valores, estaria procurando outra emissora. Mas ficou muito claro para eles que os valores estão defasados e aí nós temos que ver como vai ficar. Tenho uma expectativa de até o fim do mês termos novidades. Vamos 'devagarinho'", finaliza.

Remanescentes do Clube dos 13, Bahia, Vitória e Botafogo são exceções na Série B e recebem cotas maiores.

As informações são do ESPN.com.br,  por Marcus Alves.


Baixe o aplicativo para Smartphones e Tablets.
Curta nossa página no Facebook
Siga nosso perfil no Twitter.
Compartilhe no Google Plus

Por Vevé Prado

Para entrar em contato com o editor - Email: midiaesportiva@hotmail.com / Celular e WhatsApp: (81)996331508.