"O preço nunca foi apresentado como uma barreira de entrada pelas principais operadora" diz principal executivo do Esporte Interativo


A Turner publicou nesta sexta, 18, nos principais jornais diários do País, anúncio levando a um manifesto de esclarecimento sobre a negociação dos canais Esporte Interativo com as operadoras de TV por assinatura. O manifesto, disponível no site www.comoassistirachampions.com.br, rebate "informações incorretas" que "tem sido disseminadas no mercado alegando que a Turner estaria cobrando um preço alto" pelo conjunto de canais esportivos (Esporte Interativo, EI Maxx e EI Maxx2). Segundo a programadora, o preço é o mais baixo entre os canais esportivos.

Trata-se. na verdade, de uma resposta da Turner ao argumento apresentado pelas principais operadoras em seus canais de atendimento para não carregar os canais Esporte Interativo. Nas páginas das operadoras nas redes sociais é possível perceber um volume grande de reclamações de assinantes sobre a impossibilidade de assistir a Liga dos Campeões, e a resposta das operadoras é em relação ao preço do canal.

Em entrevista ao Tela Viva, Edgar Diniz, VP sênior do conteúdo esportivo da Turner América Latina, diz que a ideia do manifesto é "esclarecer informações falsas que circularam". Segundo ele, "houve um infelicidade na resposta (das operadoras), tocando num ponto que nunca foi colocado nas negociações".

"Os preços são os mais baixos entre os canais de esportes. Ficamos surpresos com estas informações. Mais ainda por que nunca ouvimos isso diretamente das operadoras", diz executivo. Segundo ele, o preço nunca foi apresentado como uma barreira de entrada pelas principais operadoras.

Além disso, a Turner, afirma, que nunca recebeu uma contraproposta. "Estávamos com os termos econômicos acertados com algumas operadoras, e elas mudaram de ideia em 48 horas, simultaneamente. Não apresentaram um motivo claro", diz Diniz.

Para o executivo, a entrada de um novo canal esportivo não implica, necessariamente, aumento de custo para as operadoras. Para ele, o valor do pacote esportivo não precisa aumentar, mas ser ajustado entre os competidores. "Tem um valor pelo bloco esportivo que pode ser redistribuído. Há um ajuste de preço natural que acontece ao longo do tempo. Alguns canais são recompensados por melhorar a programação e outros penalizados", afirma. Para Diniz a chegada de um novo competidor melhora as condições de negociações com os outros canais.

O fundador do Esporte Interativo e hoje executivo da Turner nega que haja planos de sublicenciar os direitos da "Liga dos Campeões" após a entrada do conjunto de canais Esporte Interativo nas principais operadoras. "Esses rumores são infundados e só interessam a quem os soltou. Não interessa às operadoras, ao assinante e nem ao Esporte Interativo", diz.

Por fim, o executivo diz que a Turner segue em conversas com as operadoras. Entre as operadoras que já contrataram o canal estão duas com presença abrangente: Oi TV e GVT.

Os conteúdo da Champions League também pode ser visto através de uma assinatura avulsa do Esporte Interativo Plus, aplicativo OTT, por uma assinatura mensal de R$ 14,90 ou R$ 118,80 por ano. Os assinantes das operadoras que já têm o canal têm acesso gratuito ao serviço de TV everywhere.


Baixe o aplicativo para Smartphones e Tablets.
Curta nossa página no Facebook
Siga nosso perfil no Twitter.
Compartilhe no Google Plus

Por Vevé Prado

Para entrar em contato com o editor - Email: midiaesportiva@hotmail.com / Celular e WhatsApp: (81)996331508.