Flamengo prevê R$ 197 milhões da Globo em 2016; clube não facilita em renovação de contrato


Em seu orçamento, o Flamengo prevê R$ 197 milhões em receitas de direito de transmissão para 2016. Esse valor pode ser ainda maior dependendo de circunstâncias em relação a competições como Estadual do Rio e Copa do Brasil. Nem por isso o clube rubro-negro tem facilitado a renovação de seu contrato com a emissora para depois de 2019.

De acordo com o UOL Esporte, por Rodrigo Mattos, a previsão orçamentária inclui uma crescimento de 58% no crescimento de receita de televisão para 2016 com o novo contrato com a Globo. O crescimento é de R$ 72 milhões, próxima da diferença de orçamento do clube de 2015 e 2016.

Para o próximo ano, o clube estima receber R$ 180 milhões do Brasileiro, incluindo o pay-per-view.  O restante viria do Carioca (R$ 7,8 milhões), Copa do Brasil (R$ 3,2 milhões) e publicidade estática. Pelo fluxo de caixa, R$ 184 milhões que vão entrar, de fato, nos cofres já que uma parte do primeiro de contrato ficará para 2017.

“Não temos nenhuma antecipação de televisão, então, o dinheiro da cota entra integral. Apenas partes foram usados como garantias para adiantamentos por meio de empréstimos, mas estamos pagando sempre então não é descontado'', contou o vice-presidente de Finanças do Flamengo, Cláudio Pracownik.

Segundo o vice de finanças, a estimativa de ganho com televisão é conservadora. Isso porque o clube pode avançar mais na Copa do Brasil e turbinar as cotas, além de não levar em conta renovação do contrato do Estadual do Rio ou qualquer renda pela Primeira Liga. Até o pay-per-view foi calculado pelo mesmo percentual de 2015.

O dinheiro da televisão, aliado a receitas de patrocínio que devem ser mantidos, deixa o Flamengo em uma situação financeira bem mais confortável do que no passado. Ao final de 2016, a expectativa é de que a dívida gire em torno de R$ 400 milhões, desconsiderados os adiantamentos, o que seria inferior a receita.

Por isso, o clube não tem pressa de renovar o contrato com a Globo de 2019 e 2020, o que o Corinthians, por exemplo, já aceitou. O jornalista apurou que foi oferecido um valor similar aos atuais com direito a um adiantamento. Repete-se o que ocorre com outros clubes em que não há previsão de reajuste. A ideia rubro-negra, no entanto, é tentar conseguir um valor maior do que o do clube paulista.

A diretoria não fala sobre números, mas informou que, de fato, há uma negociação em curso. “Estão propondo umas luvas que descontaria no futuro. Pode ser que evolua. Poderia ser interessante porque em 2017 deveremos ter uma sobra'', comentou Pracownik.


Baixe o aplicativo para Smartphones e Tablets.
Curta nossa página no Facebook
Siga nosso perfil no Twitter.
Compartilhe no Google Plus

Por Vevé Prado

Para entrar em contato com o editor - Email: midiaesportiva@hotmail.com / Celular e WhatsApp: (81)996331508.