CBF libera patrocínio em arenas que estiverem fora da zona de imagem da televisão



A CBF alterou o regulamento geral de competições para 2016 e permitiu a publicidade em estádios desde que fora da zona de imagem da televisão. Essa modificação ocorre após confusão entre a entidade e o Palmeiras em jogo no Allianz Parque em 2015. Apesar da flexibilização, a confederação mantém controle sobre o patrocínios nos estádios atendendo demanda da Globo.

Em maio de 2015, no primeiro jogo do Brasileiro, uma empresa contratada pela CBF cobriu com faixas brancas a marca “Allianz Parque''. Torcedores se irritaram com a entidade. Depois, a confederação atribuiu a atitude a um erro da empresa e liberou as marcas. Em outros estádios, a publicidade é tolerada, mas necessitava sempre de autorização expressa da confederação. E a Globo podia pedir veto.

No regulamento da CBF, esse tópico é tratado no artigo 4o, inciso II do regulamento. Foi mantido o texto que dá à entidade o direito de autorizar qualquer publicidade ou direitos comerciais nos estádios, exceto aqueles acertados em acordos por clubes. Mas acrescentou-se outra exceção: publicidade “fora do alcance da imagem das transmissões televisivas''.

A CBF explicou que, basicamente, está liberado patrocínio nas arenas desde que não estejam na linha de transmissão da TV. Cada estádio terá uma determinação diferente porque a Globo tem um posicionamento de câmeras diverso em cada lugar. Então, os lugares permitidos serão combinados com a emissora. A necessidade de pedir anuência da confederação existe, mas não é obrigatória.

Responsáveis pelo Allianz Parque entenderam como positivas as modificações no regulamento: dizem que pode melhorar a relação do estádio com a TV na qual costuma ocorrer grandes embates.  No estádio, será liberada a parte das arquibancadas oposta a que é exibida pela Globo. Patrocinadores do estádio terão prioridade para ocupar esses espaços.

Outros gestores de arenas relataram obstáculos com a regulação da CBF e com a Globo. A emissora se irrita com marcas que aparecem pouco acima da linha de placas e são exibidas nas transmissões em estádios como Maracanã e Arena Grêmio. Por isso, a Globo sempre pressiona a confederação a regular esses patrocínios para não prejudicar seus próprios parceiros.

A CBF tem feito regulamentos que privilegiam os detentores de direitos de transmissão, ou que tenham comprado placas em volta do campo. Ao explicar a mudança nas regras, a entidade informou que sempre realiza ajustes após pedidos ou análise do que ocorreu na temporada. Haverá ainda um regulamento de marketing da confederação.

A informação é do Rodrigo Mattos, no UOL Esporte.

Baixe o aplicativo para Smartphones e Tablets.
Curta nossa página no Facebook
Siga nosso perfil no Twitter.
Compartilhe no Google Plus

Por Vevé Prado

Para entrar em contato com o editor - Email: midiaesportiva@hotmail.com / Celular e WhatsApp: (81)996331508.