Fla mantém exigências e é pressionado por rivais para assinar renovação dos direitos de TV do Carioca



O Fluminense não resistiu à pressão e se juntou a Vasco e Botafogo. Os três assinaram o "de acordo" com a Federação de Futebol do Rio (Ferj) para renovação dos direitos de transmissão do campeonato Carioca com a TV Globo, segundo informações do ESPN.com.br, assinado por Gabriela Moreira. Só falta o Flamengo e enquanto o rubro-negro não assinar, ninguém recebe. A cinco meses do fim do ano, as negociações estão estagnadas e o Estadual está perto de ficar sem o rubro-negro na TV pelos próximos oito anos.

Embora com a decisão em suas mãos, o Flamengo está cada vez mais pressionado a ceder. A emissora já avisou que não pagará adiantamentos a Vasco, Bota e Flu (nem Ferj) enquanto não tiver os quatro grandes. Os clubes precisam de dinheiro e tentam colocar o rubro-negro contra a parede. O Flamengo, por sua vez, não abre mão de alguns pontos:

- receber diretamente (sem que o dinheiro passe pela Federação);

- que o contrato esteja vinculado a regras de transparência, como saber quanto a Ferj empresta de dinheiro aos clubes e as condições desses empréstimos;

- que a Ferj diminua de 10% para 5% a taxa nos jogos;

-  que a entidade seja impedida de interferir em preço de ingressos;

- que o decidido nos arbitrais não possam mudar contratos assinados;

- que os clubes possam explorar a publicidade nos estádios;

- e que o valor pago aos clubes seja maior que o recebido pela federação;

Segundo apuração da reportagem, a TV Globo dobrou o valor para compra dos direitos do campeonato (2017-2014), oferecendo R$ 120 milhões por ano, no total. Dos quais, R$ 12 milhões (10%) serão pagos à Ferj, enquanto os quatro grandes receberiam R$ 15 milhões (15%) cada. Desta forma, a Federação acabaria ganhando mais do que os clubes, uma vez que ela ainda tem o direito exclusivo de comercialização de propaganda nos estádios, o que pode dar, de acordo com cálculos de quem acompanha o setor, um total de R$ 24 milhões de faturamento.

Descontando os R$ 60 milhões dos quatro grandes e os R$ 12 milhões da Ferj, sobram R$ 48 milhões que seriam divididos a maior parte para os clubes considerados médios: Boa Vista, Volta Redonda, Madureira e Bangu, seguidos dos demais considerados pequenos e ainda as premiações e outras despesas da federação.

A Ferj se limitou a dizer que "o contrato atual dos direitos de televisionamento do Campeonato Estadual tem vigência até o dia 31 de dezembro de 2016 e a Federação de Futebol do Rio de Janeiro, por obediência à cláusula de confidencialidade, não se manifestará a respeito da renovação". O Blog, no entanto, também havia questionado sobre as críticas feitas pelo Flamengo, mas a Federação se negou a responder.

O Flamengo também alegou questões de confidencialidade para tratar dos detalhes, mas informou que "o clube não se opõe a que ninguém assine, mas se recusa a fechar um contrato lesivo à instituição e ao futebol carioca. Receber mais do que a federação é o mínimo que se espera. Queremos receber um valor compatível com a importância e a exposição do clube", disse o presidente Eduardo Bandeira de Mello, completando:

"Estamos tratando com a TV Globo e sabemos que eles também têm boas intenções. Mas se não der para o Flamengo participar com o time principal do Estadual, vamos lamentar. Podemos colocar o time B, mas não teremos nossos jogos transmitidos", disse.

Dentro da TV Globo, o assunto é tratado com cautela e provoca divisões de posicionamento. Há um grupo que já vê como necessária a desvinculação dos pagamentos à Ferj para maior independência dos clubes. Já outro, ainda vê a federação como aliada e prefere a manutenção do modelo.


Baixe o aplicativo para Smartphones e Tablets.
Curta nossa página no Facebook
Siga nosso perfil no Twitter.
Compartilhe no Google Plus

Por Vevé Prado

Para entrar em contato com o editor - Email: midiaesportiva@hotmail.com / Celular e WhatsApp: (81)996331508.