Combate investe em conteúdo ao vivo e promete 700 horas de transmissões de eventos



A grade de programação do canal de lutas da Globosat, o Combate, será reformulada para ter mais conteúdo ao vivo, chegando ao fim do ano com mais de 700 horas de transmissão de diversos eventos, como lutas, pesagens, coletivas e programas. Segundo o Tela Viva, estão planejados a apresentação de 128 eventos em tempo real.

O canal vem investindo nas transmissões ao vivo de eventos internacionais e na diversificação do conteúdo, contando, em seu portfólio, com eventos das principais modalidades de artes marciais como boxe, jiu-jitsu, muay thai e MMA.

Entre as transmissões ao vivo, o grande destaque são os UFCs, que terão, pelo menos, 42 eventos, sem contar as pesagens e coletivas com os principais lutadores da organização. O Glory, mais conceituado campeonato de kickboxing do mundo, terá 18 exibições na grade do canal. Já o Shooto terá, no mínino, 12 eventos transmitidos. Também estão na grade o Fight 2 Night, com quatro eventos; o WGP, com oito; e o Abu Dhabi Grand Slam de Jiu-Jitsu, com seis. Além disso, outras dez competições, como o Max Fight e FLC, estarão na grade de transmissão, somando 37 campeonatos. Fora dos octógonos, ringues e dojos, o Canal Combate apresentará 42 pesagens e 12 coletivas do UFC. Em seus estúdios serão produzidos programas como a "Revista Combate", "Combate News" e "Sensei Combate", que juntos oferecerão aproximadamente 100 horas de transmissões ao vivo.

Grade vertical

Outra novidade para 2017 é que a cada dia da semana o Combate terá um produto específico na grade. As segundas serão dedicadas ao jiu-jitsu. Na terça, a ênfase será para o MMA nacional. Na quarta, os apreciadores do striker, lutas de trocação, como muay thai, kickboxing e boxe serão atendidos. Na quinta, o MMA internacional é o destaque da programação. A grade do canal na sexta, sábado e domingo será ocupada pela transmissão de eventos ao vivo. Aos domingos também serão reprisados os melhores combates do fim de semana.

Conteúdo

O Combate também terá em sua grade programas que mostrarão o mundo da luta, com seu glamour e suas dificuldades. Serão oito produções, de produtoras nacionais e internacionais, como "Viver para lutar", que chega à sua segunda temporada, com o ex-campeão mundial do UFC e Pride Rodrigo Minotauro como âncora. A série, que terá seis episódios, vai visitar academias e centro de treinamento espalhados pelo mundo onde o aprendizado de cada uma das artes que compõe o MMA é reconhecidamente excelente. A produção é da Mixer.

O filme do campeão José Aldo, protagonizado pelo ator José Loretto, também será exibido a partir de março no Canal Combate. "Mais forte que o mundo", dirigido por Afonso Poyart e coproduzido pela Black aria e a Paris, conta a vida de superação desse lutador Manauara, que nasceu e cresce em uma família pobre e, após passar por inúmeras dificuldades e trabalhos duros, encontrou no jiu-jitsu um sentido e se tornou um ídolo do MMA.

Outros seis projetos estão em andamento para 2017, entre eles, o "Mulheres na Luta". O documentário, que vem sendo produzido pela Conspiração Filmes em parceria com o Combate, chama a atenção para o crescimento do público feminino nas artes marciais e mostra a trajetória lutadoras experientes até o topo, além de suas dificuldades para se inserir em um universo historicamente masculino. Também estreiam em 2017, o "Reação Brasileira", da Publytape; "Espírito da Luta" e "A luta da vida", da Academia de Filmes; "Minotauro", da Hungry Man; e "Do BJJ ao MMA", da RT2A Produções.


Baixe o aplicativo para Smartphones e Tablets.
Curta nossa página no Facebook
Siga nosso perfil no Twitter.
Compartilhe no Google Plus

Por Vevé Prado

Para entrar em contato com o editor - Email: midiaesportiva@hotmail.com / Celular e WhatsApp: (81)996331508.